quarta-feira, 8 de outubro de 2014

Livro Infantil - Uma traça sem graça | Lançamento




E não é que os escritores de Brasília ou o Universo estão conspirando a favor desta minha saga de ajudar o Rafael a descobrir como é que se faz para ser escritor. É que no mesmo dia vão haver duas escritoras da cidade lançando livros infantis. Além dos livros O Macuco Felício O Vestido da Condessa, ambos da escritora Rosângela Vieira, que citei aqui, a eternamente professora Regina Célia Melo também vai lançar Uma traça sem graça, no mesmo dia 11.

Eu gostei tanto do livro da traçazinha sem gracinha, que não poderia deixar de escrever também sobre esse livro. Conversei por poucos minutos com a escritora e já fiquei encantada com o sotaque mineiro-acolhedor (quem conhece Minas e os mineiros sabem que eles nos acolhem até com o sotaque). Foi ela que me disse que “educar é afeto”. Tem coisa mais sábia que isso gente!? Foi justamente pelo afeto que eu descambei no interesse por teorias pedagógicas, como a montessoriana, Piaget, literatura infantil, aletramento materno, musicalização infantil, entre outros, só para enriquecer o mundo do Rafael e ter a maior surpresa ao perceber que é ele que enriquece de mais a minha vida.

Em A traça sem graça, a escritora cria uma metáfora tão didática para transmitir amor à leitura, que é impossível não me identificar. Acho que cresci uma traça, devorando todos os livros que encontrava pela frente, traçando livros e retraçando a minha vida. Criando sonhos e questionando, sentindo a poesia que há na vida.

No início, a traça era uma traça sem graça, comendo e dormindo, mecanicamente, desumanamente até que começou, timidamente a traçar um Mário Quintana, Cecília Meireles e Monteiro Lobato. Daí não parou mais e, alimentando-se das páginas dos livros, deixou a semgraceza para traz. 

Em uma das páginas, a ilustração de uma prateleira de livros com o nome de escritores meio que nos convida a nos servir de um deles e traçá-los também.

Além disso, a sonoridade das rimas que compõem a narrativa é uma amostra da riqueza que a nossa língua oferece e das possibilidades para se criar um bom arranjo de palavras. Inspira a fazer poesia a partir da escuta gostosa das palavras que se combinam, rimam.

Dessa forma Regina semeia amor pela leitura, nas linhas e entrelinhas, motivada pela alegria que sente ao ver crianças apaixonadas por livros.

Vamos conhecer essa pequena traça devoradora de livros e compartilhar essa alegria com a escritora no próximo sábado?

Quando? 11 de outubro, a partir de 15h30
Onde? Sebinho – SCLN 406 – Bloco C.

Regina Melo tem mais 2 livros infantis publicados e você pode conferir um deles, Uma joaninha diferente, publicado pela Paulinas Editora, de 1989, aqui
O outro livro da autora, também editado pela Paulinas Editora, é o O menino que descobriu Brasília. Eu ainda não tenho esses, mas quem sabe tenha resenha sobre eles logo, logo no blog.

Bjos,

VdM

2 comentários:

  1. Jaque, até agora estou sem fôlego! Uai, menina é emoção demais pra esse meu coração bobo...
    Que "ver de mãe" mais intenso, único, poético! Nossa, como a traça cresceu e cresceu!


    Você sabia que há uma fase em que as traças criam asas?
    Tomara ela voe muito e por muitos "ver de mãe " de Rafael, Maria, Antonio,Clara...
    Olha, nem sei como agradecer tamanha generosidade...então, pensei em algo cheio de graça...obriGRAÇAS!!
    Bjs no coração,

    regina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi,
      Então, acho que essa tracinha já está criando asas e, além de voar, está fazendo outros voarem também nesta deliciosa paixão pela leitura.
      Bjos,
      Jaque

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...