segunda-feira, 2 de junho de 2014

Não quero comer!


Não sei ao certo quando o Rafael se transformou no Dudu, da Turma da Mônica, mas de uns tempos pra cá, ele simplesmente não quer comer. É assim. Eu falo como quem não quer nada que vou colocar o almoço ou o jantar e ele já começa a chorar dizendo que não quer comer. Fecha a boca. Tampa com a mão antes mesmo de começar a servi-lo.

Mesmo assim, eu insisto e coloco o almoço (pouco para não criar muitas expectativas). No cardápio, nada de diferente: arroz, feijão e macarrão (a guerra seria muito maior se tivesse alguma ervilha). Aí começa o 1º round: "não quero macarrão", ok, tiro o macarrão. aí vem: "não quero o feijão". O nível de stress aumenta, mas respiro fundo e tiro o feijão. Certa vez, a justificativa foi que "não queria feijão rasgado" (oi?). Lembrem-se que sobrou só o arroz. Então, ele arremata: "não quero o arroz!"

Em momentos como esse, sempre sinto que o tempo parasse e eu estivesse em num episódio do você decide e aparecem as seguintes opções bem diante dos meus olhos: 1) Fazer malabarismos lúdicos e percussionismo com a colher; 2) Enfiar, à força, colher, prato e tudo goela abaixo; 3)Deixar o minino passar fome por escolha própria;  4) Comer a comida dele para não desperdiçar; 5) Todas as alternativas, exatamente nesta ordem.

Sempre opto por respirar fundo e mentalizar o mantra: sou eu que mando e ele vai ter que comer: Coma e pronto. Isso não está em discussão! Às vezes funciona, às vezes não. E vamos indo... na adolescência isso muda!!! hahahaha

Semana passada, li uma entrevista com o pediatra espanhol Carlos Gonzales, que me acalmou um pouco, em que ele diz:

"As crianças pequenas não costumam comer muitas verduras. A verdura é baixa em calorias e simplesmente não caberia na barriga toda a quantidade que teriam de comer. Ao invés, as crianças devem procurar alimentos de alto teor calórico: massa, frango, arroz, pão… Com o tempo, o gosto muda. Atualmente, todos comemos coisas que em pequenos não gostávamos, a menos que os nossos pais tenham insistido tanto que nos fizeram odiar verduras. Os vegetais são muito saudáveis, mas o importante não é quantos vegetais comemos aos nove meses, mas sim durante toda a vida. Obrigar um bebé a comer muita verdura, fazer com que este a odeie e, de seguida, deixar de tentar é um desastre. Se o deixarmos estar, comerá pouco na infância e, uma vez crescido, comerá mais."

É ou não é uma opinião meio na contramão do que vemos por aí? Para mim, fez todo o sentido. É claro que eu preferia que ele esvaziasse o prato e ganhasse umas gordurinhas, já que ele é bem magricelinha. Então, continuo insistindo para o menino comer, mas tento ser mais tolerante quando ele diz que não quer mais. Afinal, ele come frutas diariamente, é muito saudável, muito ativo e tem energia que dá e sobra. Deve estar tudo certo! Oremos!

4 comentários:

  1. São as fases das crianças rsrs. Adoro seu blog Jaque, parabéns.

    ResponderExcluir
  2. Jaque, não sei se ira funcionar mas vou falar do mesmo jeito, tenta dar alguma motivação para ele comer por exemplo: Se ele comer tudo depois vc leva ele para passear ou depois da um brinquedo para ele. Todo mundo faz as coisas com mais entusiasmo quando tem alguma motivação ou recompensa.

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...