quarta-feira, 26 de março de 2014

E falando em Malas...


Sabem aquele ditado que diz: "Uma mulher prevenida vale por duas!" Pois é, acho que sou o equivalente a meia mulher. Eu sou uma grande admiradora das mulheres prevenidas (e dos homens prevenidos também, que acho que o ditado vale para todo mundo)...
Nunca tenho o que preciso na minha bolsa, imagina quando faço as malas... Um fracasso! Sempre esqueço alguma coisa. E olha que sou disciplinada. Às vezes, começo a preparar as malas com uma semana de antecedência e mesmo assim, sempre falta alguma coisa! Já tentei fazer lista e também não funcionou... Acho que nasci sem esse atributo feminino de "ser prevenida".
E, na última viagem, o esquecimento mor, foram as meias. Não só as minhas, mas também as do Rafael (Já que sou eu que faço a mala dele também). Eu coloquei apenas 2 meias para o Rafael e achei que eram suficientes para uma semana. (Quis ser econômica, ué!) Mas o meu esposo, ao procurar meias para o rebento e não encontrando, soltou: "Mas Jaqueline, só duas meias para a semana toda!?" Nem preciso dizer que me senti a pior mãe do mundo por causa das meias dele. Tudo bem ser desprevenida comigo mesma, mas com o pequeno... E, para arrematar o fracasso, a mala do esposo (2 vezes menor que a minha) não faltou nada e foi feita por ele na noite anterior à viagem. Pode isso Arnaldo!?
Com a bolsa de passeio do Rafael bebê, eu apanhei muito até conseguir levar o que ele realmente precisaria sem sobrecarrega-la demais. Imaginem que eu arrumava a bolsa toda vez que saíamos e guardava tudo de volta quando chegávamos. Lá pela 3ª vez que fiz isso, tive um insight (genial, se não fosse tão óbvio) que facilitou muito as saídas: deixar a bolsa semi-pronta com aqueles itens mais usados como fraldas, lenços umedecidos, spray de álcool, um casaquinho, uma troca de roupa para o calor e outra para o frio, manta, etc (cada um monta com o que mais usa). E, na hora de sair, é só ver se está faltando alguma coisa, mas a maior parte já está preparada. Isso me ajudou bastante e fazemos isso até hoje. É claro que com o Rafael mais crescidinho precisamos de bem menos coisas, mas sempre colocamos uma garrafinha com água, biscoitinhos, uma blusa de frio e um muda de roupas extras, além das fraldas e lenços umedecidos.
Acho que, de verdade, ninguém nasce tão prevenido assim, mas vai adquirindo esse dom sobrenatural com a experiência...



4 comentários:

  1. Oi Jaqueline!
    Agradeço sua participação em meu blog e espero vê-la mais vezes por lá!
    Quanto às malas, acho que por mais prevenção, parece que sempre tem um item que esquecemos. Em uma viagem, fiz a lista do que levar com uma semana de antecedência, mas acho que com a correria do dia a dia, acabei esquecendo a certidão de nascimento de minha filha e não dava tempo de retornar em casa buscar. Os voos seguintes custavam (para uma pessoa) o triplo que pagamos, daí acabamos não indo. Também depois dessa experiência, esse item é o primeiro da lista rsrsrs
    Beijos,
    Larissa Andrade.

    http://maternidadeecotidiano.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. E a mala da convivência??? Já começou?
    Imagine a Mona como fica quando vamos com todas as crianças!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho a Mona uma super mãe. Com certeza ela tira isso de letra. Eu é que sou meio avoada, às vezes. Quem sabe quando eu tiver dois eu já esteja mais experiente...

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...